Saiba como evitar o ronco por meio de 8 modos

Aquelas pessoas que roncam, geralmente já foram avisadas por outras pessoas. Entretanto, mais do que se pensa, o som que vem da vibração dos tecidos da região da faringe não faz vítimas somente tende a atrapalhar quem está ao lado e tem que conviver. “O ronco pode ser ocasionado por vários motivos, inclusive, para os que dormem fora da sua residência”, conta o otorrinolaringologista Fábio Lorenzetti, diretor da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORLCCF). Saiba que costumes podem fazer surgir o ronco:

Diminuir o peso corporal

 

Sabemos que o local do corpo onde mais a gordura se acumula é o abdômen, no pescoço também há acúmulo. “Esse fato pode lesionar a passagem do ar, porque deixa estreita a faringe”, cita a otorrinolaringologista Fernanda Martinho, da Unifesp e da diretoria da Associação Brasileira do Sono. Para quem quer ter um tratamento eficaz, precisa fazer também um acompanhamento para perda de peso. A probabilidade de roncar para quem tem um peso adequado é menor.

Saiba se a causa do sono é a apnéia

 

O ronco é tratado como o principal causador da apneia. “Doença que tem por característica diminuir a oxigenação do sangue, ocorre por conta de interromper a respiração que é ocasionada por conta das vias aéreas ficarem estreitas”, diz o otorrinolaringologista Fábio. Sendo assim, é necessário tratar o ronco, já que oscilar o oxigênio pode elevar o risco de trazer patologias cardiovasculares provocando infarto. Se você deseja saber se tem essa doença, os profissionais orientam realizar um exame de polissonografia onde o sono passa por monitoramento e as atividades fisiológicas devem ser avaliadas por um especialista.

Tenha equilíbrio ao consumir álcool

 

“Não só o álcool, mas também qualquer tranquilizantes e medicamentos que têm a função de trazer relaxamento ao corpo”, conta a especialista Fernanda. Durante o dia, não causa transtornos. Mas, à noite, é sentido que os músculos se afrouxem de maneira demasiada, logo, sabemos que ao dormirmos os músculos por consequência relaxam mais. Se mesmo que você não ronque rotineiramente, esse problema deve surgir quando você for fazer consumo de álcool.

 

Cuide de suas alergias respiratórias

 

Quem já é prejudicado por alergias respiratórias, como a rinite alérgica, geralmente tem o nariz entupido, o que pode levar ao ronco. “O barulho surge do esforço realizado para tentar respirar ou por meio alternativo para localizar a congestão nasal: fazer a respiração pela boca”, fala o especialista Fábio. Em casos como este, fazer o tratamento da alergia é a solução correta.

 

Não durma com a barriga pra cima

 

“Se você ronca, não durma de barriga pra cima”, confirma a otorrinolaringologista Fernanda. De acordo com a mesma, por intermédio da   ação da gravidade e por fazer a língua retrair para trás, faz com que a passagem de ar fique estreita, elevando a vibração dos tecidos da faringe. A médica orienta dormir de lado ou de bruços, desse modo é possível evitar a obstrução.

 

Faça alinhamento dos dentes

 

“Complicações ligadas à arcada dentária ou com relação a alinhar os dentes devem provocar o ronco”, afirma o cirurgião-dentista Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes, que atua como consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia (ABO). De acordo com o médico, os dentes quando estão em posição não certa fazem surgir a respiração bucal. Para resolver, tem que pedir auxílio do dentista, porém também do otorrinolaringologista, ambos irão solucionar encontrando a raiz do problema.

 

Buscar problemas anatômicos

 

Caso você esteja com problemas para respirar, veja se não é provocado por um problema anatômico, como o desvio de septo nasal. “Em casos assim, somente por meio de cirúrgica é eliminado o ronco”, cita o otorrinolaringologista Fábio. Problemas ligados a estrutura que fazem surgir o ronco são amígdalas e adenoide com tamanho aumentados.

 

Evite o uso de dilatador nasal

 

Os especialistas não orientam fazer uso do dilatador nasal com o objetivo de reduzir o ronco. De acordo com os mesmos, esse método tem funcionado apenas a um público mais restrito e serve como uma solução mais imediata e não um tratamento. “Pessoas que têm válvula nasal flácida, por exemplo, chegam a ganhar algum benefício, porém para a boa parte das pessoas que roncam, esse problema não vem por conta dessa situação”, cita o otorrinolaringologista Fábio.