tratamento

 

Chikungunya

Nos últimos anos a febre da chikungunya infectou inúmeras pessoas nos continentes africanos e asiáticos, e atualmente já chega a estar presente em todos os cinco continentes. Assim como a dengue, a chikungunya é uma doença infecciosa febril. É transmitido pelo Aedes aegypti e também pelo Aedes albopictus, transmissores da dengue e da febre amarela. No Brasil, os três primeiros casos importados apareceram no ano de 2010.

Sintomas

Os sintomas e os sinais também são bem parecidos com os da dengues. São eles: febre, dores nas articulações e nos músculos, dor de cabeça, náuseas, cansaço e manchas na pele. O diferencial da dengue é a dor articular, que aparece muito forte.
O vírus chikungunya não é apresentado com altas taxas de letalidade, porém, pode causar artralgia persistente (problemas com uma ou mais articulações do corpo), ocasionando na redução de produtividade e da qualidade de vida.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por uma análise dos sintomas do paciente ou através de um hemograma, que medirá o número de plaquetas no sangue. Outros exames podem ser solicitados conforme a gravidade do caso.

Tratamento

Como ainda não há um tratamento antiviral específico para a doença, a terapia utilizada é a de suporte médico, hidratação (ingerir muita água diariamente) e repouso absoluto. Os remédios usados para fazer um suporte a dores de cabeça e febre são o paracetamol e dipirona.
Atenção: É recomendado não usar medicamentos a base de ácido acetil salicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, Doril, etc.) e anti-inflamatórios que interferem na coagulação do sangue. Sempre leia a bula dos medicamentos antes de serem consumidos. Evite a automedicação.

Prevenção

A melhor prevenção é tomar os cuidados necessários para que não haja a proliferação do mosquito Aedes aegypti e do Aedes albopictus, sempre tomando cuidado com acúmulo de água parada.

  • Fique de olhos nos pneus que você armazena em casa. Deitados ou em pé ele pode acumular água na parte de dentro.
  • Durante dias, a água que você molha sua planta pode dar sinal no pratinho do vaso. Para evitar isso acúmulo de água, preencha os pratinhos com areia.
  • Procure sempre deixar garrafas vazias de cabeça para baixo, evitando que a água se acumule em seu interior.
  • Não deixar entulhos espalhados em lugares indevidos. Procure caçambas ou contrate algum serviço de transporte de lixo.
  • Fique de olho nas calhas de sua casa. A sujeira pode acumular água por dias.

 

 

Fonte: Portal Saúde

image

A Dengue

A dengue não é uma doença brasileira e não é atual. Os primeiros casos registrados são do século XVIII na ilha de Java, na Indonésia, e também na Filadélfia, nos EUA. A origem de seu nome vem do espanhol. “Dengue”, como adjetivo espanhol, significa uma pessoa física e psicologicamente instável, retratando a forma que uma pessoa infectada se encontra.

Há a teoria de que o mosquito Aedes aegypti (que transmite a doença) tenha chegado no Brasil no século XIV, vindo junto com os navios negreiros e dando abertura para suas epidemias. Em torno de 1940, o Aedes aegypti foi erradicado do país devido ao combate à febre amarela realizado pelo governo. Devido ao crescimento urbano, o mosquito retornou com força nos pneus e ferros-velhos e na década de 80, 100% das borracharias que beiravam a via Dutra continham larvas do mosquito.

A dengue tem seu aparecimento no início do século XX nas terras tropicais, e desde então as epidemias foram acontecendo em locais diferentes. Hoje o governo tem dado uma atenção especial à doença, pois o índice de morte em epidemias formaram números assustadores.

Em 2014, na cidade de Taubaté, foram registrados mais de 10.000 notificações de dengue e mais de 9.000 casos confirmados. A epidemia, que durou quase todo o ano, fez com que a prefeitura lançasse uma campanha de combate ao mosquito, que dura até hoje.

A Doença

Nem todo mosquito Aedes aegypti é contaminado com a dengue. Logo, se você for picado pelo mosquito, não é 100% certo de que você contraia a doença. A contaminação ocorre somente se o mosquito estiver infectado.
Os sintomas da doença são bem expressivos. Dentre eles estão:
• Febre alta, perto dos 40ºC
• Fraqueza e moleza do corpo
• Dor nas juntas do corpo
• Forte dor de cabeça
• Dor nos olhos

A dengue hemorrágica, que é o caso mais perigoso, provoca, além dessas já citadas, dores abdominais contínuas, queda de pressão e suor intenso.

O tratamento para a doença é básico, se baseando no uso de paracetamol ou dipirona para o controle das dores no corpo e da febre, além da recomendação de consumo excessivo de líquido e do inevitável descanso.

Se você estiver sentindo esses sintomas, procure um médico imediatamente.
A SACE possui o exame preciso para confirmação de casos da doença.

 

dengue-01