laboratório sace

 
image

Aloe Vera: A “Planta da Imortalidade”

Muitas pessoas conhecem a Aloe Vera, se não por esse nome, talvez pela coloquial “babosa”. É uma planta suculenta que pode sobreviver dias em regiões desérticas e semiáridas. No Brasil ela é utilizada como remédio e para outros tratamentos desde os índios tupi guaranis e hoje a extração direta do gel é proibida no Brasil, podendo apenas se utilizar de medicamentos feito a partir de seu gel.

Essa planta tem inúmeras propriedades, por possuir gliconutrientes de cadeia longa, esses nutrientes encontrados em seu gel estão propriedades antivirais, bactericida, fungicida, além de conter centenas de fitos químicos que concedem efeitos medicinais.

Além de todos esses efeitos medicinais instantâneos, o gel da planta auxilia na prevenção dos tumores cancerígenos, reduz os índices de colesterol ruim, dissolve pedras no rim e protege contra a cristalização dos oxalatos dos cafés e chás, alcaliniza o sangue, trata úlceras, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, reduz a pressão sanguínea, acelera a cura de queimaduras físicas e radioativas, é útil para constipação, estabiliza os níveis de açúcares no sangue, previne e trata infecções causadas pela bactéria da cândida.

Além de tudo isso, ainda protege o fígado, funciona como isotônico natural, aumenta o desempenho cardiovascular e a resistência física, hidrata a pele, acelera o processo de cicatrização, aumenta a oxigenação sanguínea e protege o corpo contra o estresse oxidativo.

Aloe Vera Saúde

Extraindo o gel da planta:
A extração do gel da planta é muito fácil, primeiro deve-se deitar a planta e cortar a ponta do seu caule, assim escorrerá uma resina amarela que se tornará vermelha, tenha paciência e deixe escorrer toda a resina, após isso vá cortando toda a base da folha até deixar apenas uma casca. Com uma faca retire o gel da casca da folha e separe num recipiente.

Pronto! De maneira fácil você está com um dos aditivos medicinais mais versáteis da natureza.

 

VEJA TAMBÉM:

image

HIV X AIDS: Tem diferença?

Sabemos que muitas pessoas ainda possuem essa dúvida, portanto, resolvemos dedicar um espaço do blog SACE para tratar desse assunto, e a resposta para o título é: Sim! São duas coisas muito diferentes!

O HIV, Vírus da Imunodeficiência Humana, ataca os linfócitos CD4, que são responsáveis pela produção dos anticorpos, ou seja, ele ataca diretamente o sistema imunológico do corpo humano, responsável por proteger nosso organismo contra doenças. Quando essa do corpo humano já está bem debilitada, ficamos suscetível a outras doenças. Esse quadro clínico já avançado é chamado de AIDS.

O avanço do vírus HIV varia de pessoa para pessoa, em alguns casos, pode se levar anos para se manifestar de forma agressiva e levar a um quadro de AIDS. Portanto, uma pessoa pode aparentar estar perfeitamente saudável e estar contaminada com o vírus HIV.

Do HIV à AIDS

O HIV está presente no sangue, no sémen, na secreção vaginal e no leite materno, portanto. A transmissão pode acontecer por diversos modos, porém há muitos mitos ainda sobre as formas de transmissão que precisam ser desmentidos. Confira o quadro abaixo para saber como se pega e como não se pega o vírus HIV. É importante lembrar que a transmissão por relação sexual é a mais comum e que o uso de preservativos é a forma mais eficiente de se evitar esse contágio, além e se prevenir de outras doenças sexualmente transmissíveis. Todos estão sujeitos a contaminação do HIV, independente da orientação sexual, portanto, hoje não se fala mais em grupo de risco e sim em comportamento de risco.

AIDS Contágio

E a cura?

O HIV não tem cura, mas a AIDS pode ser combatida e revertida. Para isso, é preciso que se descubra o quanto antes o contágio pelo vírus, assim o paciente poderá iniciar o tratamento em melhor situação, aumentando as chances de sucesso. Com tratamento e acompanhamento correto, uma pessoa com HIV pode viver normalmente e nunca desenvolver AIDS.

No Brasil, os infectados com HIV podem conseguir o coquetel (conjunto de medicação para o combate ao HIV) de graça pelo SUS. Para isso, o paciente precisa ter a receita médica e apresentar em uma Unidade Dispensadora de Medicamentos (UDM). Você pode conseguir informações completas sobre todos os efeitos do coquetel no site www.coquetelhiv.com.br

AIDS no mundo

Se você tem uma vida sexualmente ativa ou tomou algum comportamento de risco, faça o exame para verificar sua saúde. A melhor forma de se evitar a AIDS é o diagnóstico precoce. Conte com o Laboratório SACE para fazer o teste de HIV.

 

 

VEJA TAMBÉM:

 

image

Tinta contaminada e os riscos de se fazer uma tatuagem

Pretende fazer uma tatuagem? Então fique atento e tenha cuidado com este tipo de procedimento. As tintas usadas podem conter substâncias toxicológicas alérgicas e provocar celulites, erisipelas e outras infecções na pele. De acordo com a infectologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Elisa Beirão, é importante exigir do tatuador que a tinta seja individualizada para cada cliente. Este procedimento pode evitar até mesmo doenças mais graves, como a hepatite BC e o vírus HIV. Um estudo recente realizado pela Universidade de British Columbia, constatou que pessoas com tatuagens que cobrem grandes partes do corpo apresentam maior risco de contrair hepatite C e outras doenças transmissíveis pelo sangue.

“As tintas servem como fontes de infecção, pois os produtos utilizados nelas têm que ser insolúveis e parte deles pode conter componentes que normalmente não são utilizados em humanos”, ressalta a infectologista. No caso das agulhas, caso não forem corretamente esterilizadas, também são potenciais fontes de transmissão das mesmas doenças. “As tatuagens ainda são consideradas fator de risco nos casos de doação de sangue em função dos riscos de infecção”, complementa Elisa Brandão.

Embora esses fatores de risco sejam preocupantes, a especialista lembra que o aumento de denúncias de contaminação de pacientes, especialmente com hepatite C, ajudou na aplicação de padrões mais rigorosos de higiene nos dias atuais.

 

Embora esses fatores de risco sejam preocupantes, a especialista lembra que o aumento de denúncias de contaminação de pacientes, especialmente com hepatite C, ajudou na aplicação de padrões mais rigorosos de higiene nos dias atuais.

Riscos Tatuagem
Cuidados que se deve ter ao fazer uma tatuagem:

  • Escolha muito bem o seu tatuador. Converse com ele sobre todas as dúvidas que possuir, avalie trabalhos anteriores, avalie a higiene do estúdio e faça apenas quando sentir total confiança no profissional escolhido;
  • Limpeza com água e sabão neutro, que são recursos suficientes para evitar bactérias;
  • Avalie cuidadosamente os processos de higienização e esterilização dos equipamentos;
  • Se possível, exija ao tatuador que a tinta seja individualizada para cada cliente;
  • Não há uma idade padrão para aderir à pintura no corpo, no entanto orienta-se que as pessoas façam uso do bom senso e tenham consciência que a tatuagem é um processo definitivo, ou seja, uma marca que a pessoa irá carregar pelo resto da vida. As leis no estado de São Paulo não permitem que menores de idade façam tatuagens, mesmo com autorização dos pais.
  • Após fazer um novo desenho, aplique pomada antibiótica ou alguma pomada indicada pelo seu tatuador na área para conseguir uma cicatrização mais rápida;
  • Evite coçar a tatuagem. Os primeiros dias são muito desagradáveis, mas as unhas são infecciosas e podem arrancar uma crosta da pele.
  • Evite expor a tatuagem ao sol. Óbvio que com ou sem tatuagem, é recomendável que se tome cuidado com a exposição ao sol, sempre utilizando de protetor solar, chapéus

 

VEJA TAMBÉM:

image

Atividade física na 3ª idade previne doenças cardíacas

Ao aposentar nos tornamos mais ociosos, com isso a tendência é que tenhamos problemas no coração.
A chave para continuar longevo é ser ativo e praticar esportes na velhice. O diretor científico do Departamento de Educação Física da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), afirma a benfeitoria que atividades físicas podem fazer na melhor idade: “A atividade física de modo geral é capaz de prevenir e auxiliar no tratamento de doenças do coração. Para as pessoas que estão na terceira idade, é também uma excelente ferramenta para o combate de doenças cardíacas porém, antes desses indivíduos iniciarem qualquer tipo de exercício, é necessário que eles procurem um médico de confiança para avaliar as possíveis limitações de ordem ortopédica e cardíaca, para que o exercício seja feito de forma segura”.

A fala dele contrasta com a informação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), que afirma que três a cada quatro idosos no Brasil têm doença crônica e, diante desse quadro, manter exercícios contínuos pode, além de prevenir doenças cardíacas, evitar diversos outros problemas que afetam o coração como hipertensão que pode até promover hipertrofia cardíaca. Se uma caminhada regular for feita, o idoso terá uma pressão arterial menor diariamente, diminuindo o perigo de diversas doenças.

Exercícios na Terceira Idade
Os exercícios aeróbicos são os mais indicados para combater as doenças do coração, ou seja, atividades que envolvem grandes grupos musculares, realizadas de forma rítmica, contínuas e por um longo período de tempo. Para iniciar, é recomendado a caminhada diária, que deve ser realizada de forma moderada, com duração entre 30 a 40 minutos. Entretanto, antes de iniciar qualquer tipo de esporte durante a terceira idade, o especialista ressalta que indivíduo deve procurar um médico para realizar um check-up, possibilitando que a prática da atividade física seja eficaz e segura.

Exercícios na terceira idade

 

VEJA TAMBÉM:

image

Check-up anual

O check-up anual é um tipo de “ritual médico”, composto por exames – clínicos, laboratoriais e de imagem – recomendado a todas as pessoas, principalmente para as que chegaram ou já passaram dos 60 anos. O objetivo desta bateria de exames é identificar riscos de saúde que podem compromoter o paciente por serem oenças assintomáticas, isto é, que ainda não foram detectadas pela falta de sintomas. Quanto mais cedo for identificado um problema, maior a chance de cura ou controle do mesmo. Há alguns casos em que os exames são adequados ao tipo de paciente, colocando como característica o perfil de risco, histórico familiar ou hábitos do paciente.

Cada médico recomenda os exames que acharem melhor para seu paciente. Isso faz com que as chances de detectar algo já existente sejam maiores, por se tratarem de campos de riscos. Em nossa tabela a seguir colocaremos alguns exames recomendados, e não somente os necessários. Nunca deixe de consultar seu médico particular.

Exames Recomendados

Hemograma: Exame de sangue para fazer as medições necessárias.
TSH: Medição do nível de hormônio da tireoide.
Mamografia: Exame indicado para mulheres que possuem casos de câncer de mama na família.
Densitometria Óssea: Tem por finalidade evitar a osteoporose e complicações de quedas.
Colonoscopia: Exame para fazer o rastreamento do câncer de colorretal, caso haja.
Raio-X do Tórax: Indicado para fumantes, para avaliar os pulmões.
Eletrocardiograma: Fazer a avaliação da saúde cardíaca é imprescindível.
Creatinina: Exame de sangue para medir a substância dos rins.
Toque Retal: Exame de toque retal é de rápida duração e diagnostica o câncer de próstata.
Ácido Úrico: exame que mede a concentração de ácido úrico no sangue e exige oito horas de jejum para ser realizado.
Ecocardiograma: é um exame de ultrassonografia do coração que obtém imagens por ondas de alta frequência.