exame

 
image

Diabetes – Você realmente conhece?

Um a cada onze adultos no mundo são afetados pela diabetes, segundo a OMS. São 422 Milhões de casos registrados em 2014 e o Brasil é o quarto país do mundo com mais prevalência da doença, com 12% de adultos diabéticos.

O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina ou a incapacidade de insulinar, aumentando assim o nível de glicose no sangue. O diabetes acontece quando o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente para suprir as necessidades do organismo. A insulina reduz a glicemia no sangue, pois permite que o açúcar presente penetre na célula e seja utilizado como fonte de energia.

Para entender melhor, é preciso esclarecer que há dois tipos de diabetes:

Exame Diabetes

Há também o Pré-Diabetes, termo usado pra indicar que o paciente possui grande potencial para desenvolver a doença. É um estado de transição entre o saudável e o diabetes tipo 2. O grupo de risco abrange todas pessoas acima de 45 anos ou quem tem antecedentes de diabetes na família. É aconselhável que as pessoas que fazem parte desse grupo façam o exame de glicemia ao menos uma vez por ano.

A do tipo 1 corresponde à apenas 10% dos casos e atinge principalmente crianças e adolescentes. Sintomas como excesso de cansaço, muita sede e excesso de urina são comuns.

No tipo 2, os sintomas estão relacionados ao sedentarismo e a obesidade, são 90% dos casos de diabetes e normalmente atinge pessoas acima dos 40 anos. Não há sintomas evidentes, é uma doença silenciosa e traiçoeira, pois se a pessoa não identifica por meio do exame, ficará sabendo somente quando a doença já estiver descontrolada.

Sintomas Diabetes

É contagioso? Não, diabetes não é uma doença contagiosa, ou seja, não passa de pessoa pra pessoa. O tipo 1 é por propensão genética e o tipo 2 é consequência de maus hábitos.

O censo sobre diabetes no Brasil mostrou que 50% das pessoas não sabem que estão com a doença, descobrem apenas quando começam a ter complicações que afetam a visão e os rins, por exemplo. A melhor forma de se prevenir é praticar exercícios e se manter dentro do peso, criando hábitos saudáveis. Fazer exames regularmente também é uma forma eficiente de se combater a diabetes, pois assim, o diabetes pode ser identificado e controlado.

 

VEJA TAMBÉM:

image

Aedes Aegypti

AEDES AEGYPTI – Conheça o mosquito transmissor da dengue, zica e chikungunya e saiba como combate-lo
O Aedes Aegypti, popularmente conhecido como “mosquito da dengue” surgiu no Egito, se espalhou para a África e depois para as Américas e Ásia.

O mosquito mede menos de 1cm e pode ser identificado pelas suas listras brancas no corpo e pernas e pelos seus hábitos característicos:
– Costuma picar de dia: Nas primeiras horas da manhã e no final da tarde;
– Pica principalmente pernas, tornozelos e pés, e sua picada não dói e nem coça;
– Voa baixinho, no máximo a 1 metro de altura do solo;
– É silencioso.
O Aedes Aegypti é transmissor de diversas doenças, entre elas, as mais graves são a dengue, zika vírus e chikungunya.
Sintomas

A fêmea do Aedes Aegypti precisa sugar sangue para produzir os ovos, e estando infectada, a transmissão do vírus acontece. Os outros mosquitos costumam picar apenas uma pessoa por lote de ovos que produzem, já o Aedes Aegypti tem uma peculiaridade chamada de “Discortancia Gonotrófica”, que significa que ele pode picar mais de uma pessoa por lote de ovos que produz.
Risco para grávidas
O Aedes Aegypti não se alimenta do sangue, ele se alimenta de substancias que contém açúcar, como néctar e seiva, logo o sangue é apenas para a produção de ovos. Como o macho não produz ovos, não precisa picar.

Após a fecundação, as fêmeas intensificam a voracidade pela hematofagia, para realizar o desenvolvimento completo dos ovos. Três dias após a ingestão de sangue, já está pronta para desovar, então começa a buscar o local apropriado para isso. Durante sua vida, uma única fêmea pode dar origem a até 1.200 ovos, que são distribuídos por diversos criadouros.

Os ovos adquirem uma resistência muito grande após as primeiras 15 horas, podendo aguentar até 450 dias em condições desfavoráveis para a eclosão. Em condições favoráveis de umidade e temperatura, os embriões ficam prontos e desenvolvidos em apenas 48 horas.
O Aedes Aegypti
 
A melhor forma de combater o Aedes Aegypti é impedindo que se reproduzam, ou seja, exterminando os focos de acúmulo de água, locais propícios para a reprodução.
Combatendo o mosquito
Não deixe de fazer sua parte. Essa é uma batalha de todos nós. Caso apresente os sintomas de alguma das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti, procure imediatamente seu médico, e lembre-se que com o Laboratório SACE você sempre pode contar!

VEJA TAMBÉM:

Carnaval e as DSTs

Na época do Carnaval os cuidados com sua saúde e higiene devem ser redobrados. No meio dos aglomerados carnavalescos existe um perigo real muito grande, mas que ainda é tratado com banalidade por muitos: as Doenças Sexualmente Transmissíveis.

As DSTs não são exclusividades desta época festiva, mas as viagens, o compartilhamento de objetos pessoais e o uso de banheiros públicos, são atos muito propícios para a transmissão. Porém, a maior probabilidade de transmissão ainda é a relação sexual sem uso do preservativo.

A doença mais popular desse grupo é o vírus causador da AIDS, o HIV. A doença não tem cura e não é simples como muitos imaginam. Após contrair o vírus, há uma dramática mudança de hábitos para se adequar à rotina de remédios contínuos e ao tratamento adequado.
Além do vírus do HIV, existem outras doenças sexualmente transmissíveis que também não tem cura, e ainda assim são vistos como simples infecções.

Para evitar qualquer dessas doenças há alguns cuidados que devem ser tomados, como não dividir toalhas, lençóis ou roupas íntimas com outras pessoas, não compartilhar escovas de dente, lâminas de barbear ou depilar e ao usar um banheiro público certifique-se que o local esteja limpo antes de usar

Conheça algumas das DSTs mais populares:

Clamídia e Gonorréia
São infecções causadas por bactérias que podem atingir os órgãos genitais masculinos e femininos. Quando não tratadas, essas doenças podem causar infertilidade, dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas, entre outros danos à saúde.

Sífilis
Doença infecciosa que pode se manifestas em três estágios. Os dois primeiros são doloridos e mais propícios às transmissões. O terceiro estágio é assintomático, causando a impressão de cura da doença. Os sintomas são pequenos ferimentos no órgão sexual e caroços na virilha.

Sífilis Congênita
É a transmissão da sífilis de mãe para filho pela gestação. A infecção é grave e pode causar má-formação do feto, aborto ou a morte do bebê, quando se nasce gravemente doente. Por isso, é importante fazer o teste para detectar a sífilis durante o pré-natal.

HPV
O condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é uma DST que tem mais de 100 variações – algumas delas podendo causar câncer, principalmente no colo do útero e no ânus. O surgimento de verrugas de tamanhos variáveis no órgão genital é comum, em homens e mulheres, e ambos podem estar infectados sem apresentar sintomas em alguns casos.

Herpes Genital
Doença viral que não apresenta cura, mas sim o tratamento. Seus sintomas são geralmente pequenas bolhas agrupadas que se rompem e se transformam em feridas. Antes do surgimentos das bolhas pode haver sintomas como formigamento, ardor e coceira no local, além de febre e mal-estar.

HIV/AIDS
O HIV é a pior doença viral do grupo das sexualmente transmissíveis. Se não tratado de acordo com sua contagem de células atacadas e sistema imunológico, pode ocorrer a AIDS (síndrome da imuno deficiência adquirida, em português), que vai atacando os órgãos mais frágeis do seu corpo e diminuindo cada vez mais sua imunidade. Seu tratamento é contínuo e vai variar de acordo com a quantidade de células atacadas pelo HIV.

 

Para evitar qualquer doença sexualmente transmissível é necessário o uso de preservativo em todo tipo de relação sexual (vaginal, anal, ou oral) e para que haja um diagnóstico correto, entre em contato com seu médico e peça um check-up geral de sua saúde.

image

Outubro Rosa

Em 2002 o Brasil ficou mais cor de rosa. Mais precisamente no dia 2 de outubro com o Obelisco do Ibirapuera em rosa. Em pleno aniversário do Encerramento da Revolução. Atitude tomada por um grupo de mulheres ativistas da luta à favor da conscientização do câncer de mama, foi a primeira ação relacionada ao Outubro Rosa.

O país acabara de entrar no role mundial de prevenção do câncer de mama e não parou mais. Em 2008, em comemoração ao Dia das Mães, ao Dia Estadual de Prevenção ao Câncer de Mama – comemorado todo terceiro domingo do mês de maio – e em preparação ao Outubro Rosa, o Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama iluminou de rosa a Fortaleza da Barra, em Santos.

No mês de outubro do mesmo ano várias entidades relacionadas ao combate ao câncer de mama iluminaram monumentos e prédios de luzes rosas. As principais cidades do país aderiram à causa e até hoje fazem parte desta campanha. O monumento mais importante do país também ficou rosa no ano de 2008. A iluminação rosa do Cristo Redentor (RJ) foi um marco que deu destaque ao país pelo mundo inteiro, por ser uma das sete maravilhas do mundo.

Com o passar dos anos a campanha no Brasil foi se expandindo a cada dia mais, alertando a sua população sobre os riscos e causas do câncer de mama. E você, o que sabe sobre a doença? Separamos algumas informações para você.

  • Não existem causas específicas para o desenvolvimento do câncer, há alguns fatores que podem contribuir. A idade por exemplo é um dos fatores, pois quanto maior avançada for, maior o risco, naturalmente. Consumo excessivo de álcool, menarca precoce, o fato de não ter filhos, menopausa tardia, também são alguns dos fatores que contribuem com o desenvolvimento da doença;
  • A doença em homens é bem rara. Estima-se que menos de 1% dos casos de câncer de mama seja em indivíduos do sexo masculino;
  • A doença também pode ser detectada pelo toque nos seios, porém, não é a única forma. Esteja com seus exames em dia para que não haja surpresas futuras. Lembrando que o nódulo, quando existente, é indolor no início, então não espere sentir dor para fazer os exames necessários;
  • As chances de cura são de 95% caso o câncer seja detectado no início de seu desenvolvimento;

Nunca confie apenas no autoexame. Consulte seu médico e se proteja dos riscos.

image

Teste de Paternidade

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), atualmente existem 5,5 milhões de crianças sem o nome de seu pai em suas certidões de nascimento. Felizmente esse dado é decrescente, pois a justiça brasileira, de 2010 até atualmente, vem facilitando a burocracia para o registro do genitor.
Um dos motivos que vem fazendo com que o número de crianças sem pais registrados diminua são os exames de paternidade, que com o tempo vão ficando cada vez mais acessíveis à toda população.
No Laboratório Sace o exame é rápido e pode ser realizado a domicílio. Através de uma rápida e indolor coleta de DNA dos periciados, já podemos ter um resultado com mais de 99,99% de precisão. Já nos casos de reconstrução de DNA – para supostos pais falecidos – a exatidão é de mais de 98% de certeza. O exame é feito com total sigilo, discrição e profissionalismo de nossa equipe.

Como é feita a coleta do DNA?

  • Nós usamos a swab oral, que se trata de uma pequena escova que é passada por toda parte interna da bochecha do paciente, segurando material o suficiente para que o exame seja feito.
  • Essa forma é rápida, segura e indolor. Diferente da coleta de sangue, o material pode ser transportado à temperatura ambiente e não ocasiona interferências com pacientes que já fizeram transfusão de sangue ou transplante de medula óssea.