cuidado

 

Carnaval e as DSTs

Na época do Carnaval os cuidados com sua saúde e higiene devem ser redobrados. No meio dos aglomerados carnavalescos existe um perigo real muito grande, mas que ainda é tratado com banalidade por muitos: as Doenças Sexualmente Transmissíveis.

As DSTs não são exclusividades desta época festiva, mas as viagens, o compartilhamento de objetos pessoais e o uso de banheiros públicos, são atos muito propícios para a transmissão. Porém, a maior probabilidade de transmissão ainda é a relação sexual sem uso do preservativo.

A doença mais popular desse grupo é o vírus causador da AIDS, o HIV. A doença não tem cura e não é simples como muitos imaginam. Após contrair o vírus, há uma dramática mudança de hábitos para se adequar à rotina de remédios contínuos e ao tratamento adequado.
Além do vírus do HIV, existem outras doenças sexualmente transmissíveis que também não tem cura, e ainda assim são vistos como simples infecções.

Para evitar qualquer dessas doenças há alguns cuidados que devem ser tomados, como não dividir toalhas, lençóis ou roupas íntimas com outras pessoas, não compartilhar escovas de dente, lâminas de barbear ou depilar e ao usar um banheiro público certifique-se que o local esteja limpo antes de usar

Conheça algumas das DSTs mais populares:

Clamídia e Gonorréia
São infecções causadas por bactérias que podem atingir os órgãos genitais masculinos e femininos. Quando não tratadas, essas doenças podem causar infertilidade, dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas, entre outros danos à saúde.

Sífilis
Doença infecciosa que pode se manifestas em três estágios. Os dois primeiros são doloridos e mais propícios às transmissões. O terceiro estágio é assintomático, causando a impressão de cura da doença. Os sintomas são pequenos ferimentos no órgão sexual e caroços na virilha.

Sífilis Congênita
É a transmissão da sífilis de mãe para filho pela gestação. A infecção é grave e pode causar má-formação do feto, aborto ou a morte do bebê, quando se nasce gravemente doente. Por isso, é importante fazer o teste para detectar a sífilis durante o pré-natal.

HPV
O condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é uma DST que tem mais de 100 variações – algumas delas podendo causar câncer, principalmente no colo do útero e no ânus. O surgimento de verrugas de tamanhos variáveis no órgão genital é comum, em homens e mulheres, e ambos podem estar infectados sem apresentar sintomas em alguns casos.

Herpes Genital
Doença viral que não apresenta cura, mas sim o tratamento. Seus sintomas são geralmente pequenas bolhas agrupadas que se rompem e se transformam em feridas. Antes do surgimentos das bolhas pode haver sintomas como formigamento, ardor e coceira no local, além de febre e mal-estar.

HIV/AIDS
O HIV é a pior doença viral do grupo das sexualmente transmissíveis. Se não tratado de acordo com sua contagem de células atacadas e sistema imunológico, pode ocorrer a AIDS (síndrome da imuno deficiência adquirida, em português), que vai atacando os órgãos mais frágeis do seu corpo e diminuindo cada vez mais sua imunidade. Seu tratamento é contínuo e vai variar de acordo com a quantidade de células atacadas pelo HIV.

 

Para evitar qualquer doença sexualmente transmissível é necessário o uso de preservativo em todo tipo de relação sexual (vaginal, anal, ou oral) e para que haja um diagnóstico correto, entre em contato com seu médico e peça um check-up geral de sua saúde.

image

Diabetes, uma doença silenciosa

É relacionado ao envelhecimento da população e dietas poucos saudáveis, aumento da obesidade e o sedentarismo. O diabetes é considerado uma epidemia mundial. Ele surge de forma silenciosa, e só apresenta algum sintoma quando a taxa de glicemia está muito elevada.

A Federação Internacional de Diabetes (IDF), estima que até 2035, o número de portadores de diabetes deverá chegar a 592 milhões. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, estima-se que existam aproximadamente 11 milhões de pessoas portadoras de diabetes, sendo que 3,5 milhões ainda não sabem que possuem a doença.

Sintomas

Ao sentir muita sede, ter vontade de urinar com mais frequência, emagrecer sem motivo aparente, sentir cansaço, dores nas pernas, câimbras, e infecções genitais, fique atento! Pois esses são alguns sintomas de diabetes, que são apresentados quando a glicemia está muito elevada.
Se esses sintomas não forem tratados, poderá evoluir para quadros graves de desorientação, sonolência e até coma, diz a Dra. Resane Kupfer, vice-presidente do Departamento de Diabetes da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Antes que apareça algum sintoma, é recomendável que pessoas com mais de 40 anos, que tenham fatores de risco como histórico da doença na família, excesso de peso, hipertensão, sedentarismo, hábitos alimentares não saudáveis, alterações em lipídios ou se já tiveram diabetes gestacional, façam exames de sangue periodicamente para controlar a glicemia, diz a médica.

Isso também serve para as crianças, principalmente de 10 a 14 anos, pois são mais suscetíveis á doença. Já o diabetes tipo 2 tem uma incidência maior em pessoas com mais de 50 anos. Porém, com o aumento da obesidade em jovens, essa faixa etária tende a cair, afirma a Dra. Rosane.

Visite regularmente seu médico e conte com o Laboratório SACE para a realização dos seus exames.

image

Como evitar as alergias de outono e inverno

As estações que mais causam problemas respiratórios para alérgicos ou não são o Outono e o Inverno, quando as variações de temperatura mais bruscas e a baixa umidade criam um cenário propício para irritações e infecções das vias respiratórias, como as rinites alérgicas que são as mais comuns, seguidas da asma e da bronquite.

Causas

Principalmente neste período em que o ar está bem mais frio e seco, a mucosa nasal fica irritada. Somada a isso tendência da imunidade do nosso organismo em baixar aumenta a probabilidade das crises alérgicas.

Lugares fechados, uso de agasalhos, cobertores ou edredons que estavam guardados há muito tempo também contribuem para reações alérgicas.

Gripe

Mas não só os alérgicos que precisam se cuidar durante os meses mais frios do ano. A Gripe se aproveita da mesmas condições de tempo e de baixa imunidade do nosso organismo para se instalar e causar desde um pequeno desconforto com espirros, dores no corpo e má disposição, até um quadro mais grave que pode oferecer o risco à vida, no caso da gripe H1N1, quando infectada em crianças e idosos.
Neste caso existe a vacina distribuída na rede pública, preferencialmente para idosos, crianças de 6 meses até 5 anos e pessoas com doenças crônicas. Mas também estão disponíveis vacinas na rede particular em clínicas especializadas.

Prevenção

Exceto nos casos extremos que exigem tratamento médico ou uso de vacinas, alguns cuidados simples em casa podem ajudar a melhorar a condição e até impedir o surgimento de crises alérgicas neste perído.

  • Manter a sua casa sempre limpa e arejada;
  • Sempre use aspirador de pó ou pano molhado, nunca espanadores;
  • Sempre que possível manter janelas abertas durante o dia;
  • Travesseiros e colchões impermeabilizados;
  • Lavar antes de usar roupas guardadas há muito tempo;
  • Lavar edredons, travesseiros e cortinas de dois em dois meses;
  • Use sempre umidificadores limpos e higienizados;

Window

Curta o melhor da estação

Com esses cuidados com a saúde, que precisa acontecer todo o tempo, mas especialmente no outono e no inverno, você e sua família vão curtir os dias mais frios do ano com todo conforto e, principalmente, com a saúde em dia!