Diabetes e Pressão alta – Recomendações e estilo de vida!

Dica da Nutricionista

Diabetes e Pressão alta (hipertensão arterial): recomendações nutricionais e estilo de vida!Renata Toledo

O hábito alimentar moderno está baseado no alto consumo de produtos industrializados, ricos em açúcares e pobres em nutrientes. Este fato, aliado ao sedentarismo, alto consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo, é responsável pelo aparecimento de diversas doenças crônicas não transmissíveis, como obesidade, diabetes tipo II, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e câncer.

Hoje trataremos sobre duas destas patologias: diabetes tipo II e hipertensão arterial, mais conhecida como pressão alta.

A diabetes do tipo II, não-insulino dependente, é caracterizada pela resistência à insulina ou secreção anormal da insulina (hormônio responsável por controlar os níveis de glicose no sangue). Já a hipertensão ocorre quando a força que o sangue exerce sobre as artérias é aumentada, sofrendo resistência das mesmas. Ambas têm um caráter genético que podem influenciar seu aparecimento, porém esse fator não é determinante.

Sabe-se que o alto consumo de carboidratos (exemplo: pães, bolachas, sucos industrializados, refrigerantes, doces, etc.) aliado ao sobrepeso/obesidade, sedentarismo e ao estresse aumentam as chances do organismo desenvolver uma resistência a insulina, ou seja, sua função fica “debilitada” e, como consequência, o nível de açúcar no sangue fica “desregulado” levando ao aparecimento da diabetes.

Já a praticidade e falta de tempo de uma vida corrida, fez com que a comida de verdade fosse trocada pelos produtos alimentícios, como barrinha de cereal, salgadinhos, comidas congeladas, embutidos, sopas instantâneas e temperos prontos que são ricos em sódio e substâncias neurotóxicas (ex: glutamato monossódico). Este alto consumo, também aliado ao estilo de vida moderno e à obesidade, predispõe o aparecimento da hipertensão arterial.

Como orientações gerais para uma vida saudável e controle destas patologias, as principais recomendações são:

  • Alimente-se de comida de verdade, deixe de lado alimentos industrializados, inclusive os “diets/lights”, pois além de apresentarem alto teor de sódio, são ricos de corantes/aromatizante, substâncias inflamatórias que prejudicam o funcionamento do organismo como um todo, dificultando o tratamento.
  • Consuma alimentos de alta densidade nutricional e baixa quantidade calórica, ou seja, alimentos nutritivos. Exemplo: verduras, legumes e frutas.
  • Nas refeições principais, opte por boas fontes de carboidratos complexos (ex: arroz integral, batata doce, inhame, cará, etc.), sempre em conjunto de fontes boas de proteínas (ex: carnes, frango, peixes e ovos) e fontes de gordura boa (ex: abacate, azeite de oliva, castanhas, amêndoas, etc.). O equilibro alimentar é muito importante!
  • Utilize temperos naturais secos e frescos, como orégano, salsinha, cebolinha, alecrim, cebola, tomate, etc. Pois assim, automaticamente você diminuirá o consumo do sal de mesa.
  • Hidrate-se! Dê sempre preferência à água para se hidratar, evitando ao máximo bebidas industrializadas (ex: refrigerantes, sucos de caixinha/saquinhos e até mesmo bebidas “zero” açúcar).
  •  Faca atividade física diariamente, manter um corpo ativo é essencial!
  • Manter o peso corporal adequado: em caso de sobrepeso/obesidade, a perda de peso terá um impacto positivo no controle da pressão arterial e diabetes.
  • Procure sempre um profissional capacitado e atualizado para te auxiliar!
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo!

 

Escrito por:

Renata Toledo – Nutricionista clínica

Pós- graduando em nutrição clínica funcional pelo instituto VP.

(12) 3411-0577 / (12) 98155-4301

VEJA TAMBÉM:

Atividade física na 3ª idade previne doenças cardíacas
GUIA: Como ter uma vida saudável