DEPOIS DO ÓBITO AINDA HÁ CHANCE DE FAZER O DNA?

DNATeste de DNA nada mais é do que um meio mais conhecido atualmente para verificar uma possível paternidade. Porém, o caso se torna mais complicado quando há o falecimento do pai, mesmo assim, ainda existe uma possibilidade de averiguar tal paternidade.

SE O PAI ESTÁ VIVO, COMO ESSE TESTE É EXECUTADO?

 

Em síntese, teste de paternidade é fácil de ser feito (com base em um ponto de vista não científico). É preciso somente ter uma amostra de DNA do provável pai e do filho ou filhos. Os laboratórios retiram os perfis de DNA do pai e da criança e verificam se eles têm os mesmos marcadores genéticos, se a resposta for sim, o pai que fez o teste é incluso na lista de pai biológico. As coletas de tais amostras são feitas por meio de um cotonete (swab), esfrega-se na parte interior da boca para coletar células.

COMO é FEITA A COLETA QUANDO O PAI JÁ ESTÁ FALECIDO?

 

Se o provável pai já está falecido, realizar um teste torna-se mais fácil, pois há várias possibilidades com o próprio cotonete para que isso aconteça, mas no falecido fica impossível de ser usado. Pode-se determinar a paternidade por meio de parentes de primeiro grau do pai. Comumente, podendo ser um irmão ou irmã terá que têm semelhanças hereditárias e também os avós. De acordo com o sexo dos envolvidos, caso estejam com disposição, há uma série de testes que podem ser testados, e de relacionamentos também é possível averiguar.

ATENÇÃO: COM O PAI FALECIDO HÁ TRÊS CHANCES DIFERENTES

 

Após algum tempo bem curto da morte, ainda há a possibilidade de fazer coletas. Num período máximo de sete dias. Podem ser usadas como amostra de DNA recortes de unha, e fios de cabelo são muito comuns de serem testados, é importante que ainda haja a raiz do cabelo ou folículo incluso e precisa de um número mínimo de fios para o teste.

Quando o pai já está enterrado a melhor escolha é usar, um pente, um lenço de papel utilizado e outros objetos que foram utilizados pelo morto após sua morte. Mas, fique atento: nem todas as amostras são eficazes, devido a isso, precisa levar em consideração seu tempo de existência e como foram armazenadas.

A terceira e talvez a mais difícil é a exumação do cadáver. Esta além de complicada precisa de meios jurídicos para sua realização. Em determinados países, além de muito burocrático esse teste também pode ser bem caro. Entretanto, quando o cadáver já está exumado, umas certas quantias dessas amostras podem ser retiradas como exemplo um dente.

Um teste de paternidade pode ser feito mesmo quando o pai já faleceu, apenas deve ser respeitado o tempo de coleta e verificar qual o meio mais rápido para executar esse procedimento. Testes de paternidade são conhecidos por serem confiáveis e um dos meios mais seguros para comprovar tal dúvida

.

Saiba mais em Elas-DNA .Curta nossa FAN PAGE.