COMO SE PREVENIR DA INFECÇÃO URINÁRIA?

910538143_preview_11

Trata-se de uma infecção que já alcança várias mulheres que se encontram em idade de reprodução, menopausa e mesmo às grávidas sofrem desse mau. Essa doença surge quando uma bactéria se infiltra sistema urinário através da uretra e se espalha na bexiga. Comumente, o corpo põe para fora esses organismos anormais. Algumas vezes, o sistema de defesa do corpo tende a falhar e a bactéria consegue se manifestar no trato urinária e daí começa a infecção. Por volta de 40% das mulheres já tiveram essa patologia ao menos uma vez na vida.

São muitos os seus sintomas, de acordo com a uroginecologista Maria Augusta Bortolini, vice-presidente da Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart., a infecção urinária ocasiona uma pressão regular entre as regiões pélvica ou lombar e faz surgir micções dolorosas com certa frequência, havendo muita necessidade de urinar além do normal, em muitos casos tendo pouca ou nenhuma urina para ser eliminada.

A médica acrescenta que a urina pode chegar a ser turva, de cor escura e/ou com odor muito forte. “Se há sangue na urina, febre acrescida de náuseas, vômitos e calafrios pode ser indícios de infecção séria”, conta.

O sexo feminino tende a apresentar infecção urinária com mais frequência, já que suas uretras são menos longas, sendo mais próxima à vagina e ao ânus. Quer dizer que a facilidade é maior para os micro-organismos conseguirem entrar em seu sistema urinário e provocar uma infecção.

“Os atritos causados por atividades sexuais também levam os micro-organismos para dentro da uretra. Depois do período de menopausa, os níveis de hormônio estrogênio no corpo são menores o que faz com que os tecidos da vagina, uretra e bexiga fiquem mais finos, sensíveis e com pouca resistência, elevando o risco de cistite recorrente”, conta Maria Augusta Bortolini.

No período de gravidez, essa infecção geralmente aparece devido a alterações hormonais e que fazem funcionar o trato urinário. A médica orienta que, nesta fase, o sistema imunológico ou a susceptibilidade de algumas mulheres têm seu grau de contribuição para que essa infecção ocorra.

Se você deseja se prevenir comece a ter melhores hábitos, mude sua alimentação, faça exercícios, isso ajuda a minimizar o estresse, o corpo passa a ficar mais fortalecido e seu sistema imunológico mais eficaz, fazendo com que infecções oportunistas não se aproveitem de seu organismo”, afirma.

Recomendações para ajudar a prevenir a infecção urinária:

  • Beba água regularmente, que seja o suficiente para urinar de tom claro de 4 a 6 vezes diariamente (2 a 3 litros);
  • Tomar suco de cranberry faz com que a urina fique mais ácida e impede que as bactérias cresçam;
  • Se sentir vontade de ir ao banheiro deve ir. Em torno de 3 horas;
  • Após fazer uso do banheiro, faça higienização sempre da parte da frente para a parte de trás;
  • Sempre deixar higienizada a região genital, porém deve evitar fazer limpeza vigorosa, trazendo prejuízo a pele, duchas vaginais também causam danos a pele. As bactérias se propagam normalmente em pele e mucosas já prejudicadas;
  • Procure não fazer uso de certos produtos, como exemplo óleos de banho perfumados e desodorantes vaginais;
  • Caso tenha diabetes, tenha mais controle;

 

Tratar a infecção deve ter comprometimento rigoroso por parte do paciente, pois caso a infecção retorne, o tratamento pode ficar mais difícil. Em casos mais sérios, se faz necessário uma internação devido a chance de causar dano ao trato urinário superior (rins) e o organismo em geral.

Associação Brasileira Pela Continência B. C. Stuart

A Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart trata-se de uma organização que não possui interesses lucrativos, sendo seu principal objetivo cuidar de pessoas que já têm incontinência urinária e/ou fecal.

*Dra. Maria Augusta Tezelli Bortolini é Pós-Doutora em Ciências e Professora Afiliada do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina.

Saiba mais Saúde. Deixe seu comentário!