COMO CUIDAR DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS NO INVERNO?

close-up-da-menina-de-pijama-com-dor-de-cabeca_1208-10Especialista do sistema Unimed orienta sobre como cuidar de patologias respiratórias no inverno. Você já sentiu que quando chega a metade do ano, por volta de junho, quando começa a estação mais gelada do ano, podemos observar um aumento de doenças relacionadas a respiração, exemplo:  gripes, resfriados, amigdalites, sinusites e rinites?

Porém, porque de fato essas doenças acontecem? O que ajuda a propagar doenças no inverno, é possível citar como exemplo, ficar muito tempo em lugar fechado e sem circular as ar. “Tais ambientes propiciam para que as infecções virais tenham facilidade de propagação”, confirma o dr. Pedro Geisel Santos, que é especialista em otorrinolaringologia, atua por meio do Sistema Unimed em Blumenau (SC).

Quando se tem casos de alergias, como a rinite, roupas de frio que ficam guardadas por muito tempo, podem soltar pelos dificultando ainda mais o tratamento, estas vestes podem conter ácaros e até mofo. “Para a rinite, é importante fazer trocas de roupas de cama regularmente, preferencialmente 1 a 2 vezes semanalmente, higienizar as mãos evitando assim objetos dentro da casa que causam o favorecimento do acúmulo de mofos e poeiras – podemos citar como exemplo tapetes ou carpetes, orienta o médico. ” O mesmo ainda cita que, para ter um bom resultado é necessária uma avaliação médica, periodicamente, isso é primordial. Inclusive em casos em que é possível pedir ajuda de um profissional de atenção primária, onde pode coordenar todo o cuidado relacionado a saúde do paciente.

Caso você já esteja dentro do grupo de pessoas que sofrem com essas infecções, utilizar descongestionantes que trazem alívio a obstrução nasal, que é um dos sintomas mais famosos, precisa ocorrer ocasionalmente e não com frequência. “O correto é fazer uso por cinco dias, se espalhar provoca um ‘efeito rebote’ quando congestiona, fazendo com que o paciente se acostume com a medicação. Há outros meios alternativos, como exemplo pode usar soro fisiológico e essências inalantes, como mentol e eucalipto (devem ser diluídas em água morna), ajudam muito a sarar a obstrução nasal”, cita o dr. Pedro Geisel Santos, do Sistema Unimed.

 

 

COMO PODEMOS EVITÁ-LAS?

 

Se você deseja ficar longe de doenças próprias do inverno, como gripe, resfriado e sinusite, você precisa deixar seu sistema imune mais forte para isso precisa comer mais alimentos que contém um alto teor de vitaminas e minerais, como frutas, legumes, verduras e cereais, assim o próprio corpo consegue produzir anticorpos de defesa.

Você também pode utilizar suplementos para ajudar o sistema imune, como exemplo as cápsulas de quiinácea, que podemos localizar em locais onde é possível achar produtos naturais. Você pode conseguir achá-lo no link: Equinácea.

Abaixo, você pode seguir algumas dicas que podem ser úteis:

  • Evite o cigarro principalmente em locais fechados.
  • Tome a vacina da gripe regularmente, mesmo antes do início do inverno. A vacina é apropriada para quem já é idoso e portador de alguma doença crônica, como asma, bronquite e sinusite, por exemplo.
  • Faça higienização da casa deixando-a livre de ácaros, saiba que é importante deixar tudo em ordem, inclusive o chão deve ser retirado toda a poeira, dos móveis e objetos, deve fazer a lavagem dos tapetes e cortinas e trocar toda a roupa de cama ao menos uma vez a cada semana.
  • Procure não ficar muito tempo em locais fechados e com muitas pessoas, com pouca ventilação pois isso pode ajudar a acumular vírus, fungos e bactérias que levam a saúde ao prejuízo.
  • Beba pelo menos um copo de suco de laranja, diariamente, a fruta é abundante em vitamina C, que auxilia na defesa do organismo.
  • Deixe o ar com um certo grau de umidade, isso melhora a respiração.

Tais medidas devem ser cumpridas com rigor, de modo especial para quem tem bebês, crianças, idosos e inclusive pacientes acamados. Embora sejam cuidados comuns, a prevenção dessas doenças pode dar longevidade a pessoa, e trazer melhoras a quem já têm essas doenças.

 

 

 

 

Saiba mais em Mulher com Saúde & Saúde. Curta nossa página no Facebook!