Chikungunya

Nos últimos anos a febre da chikungunya infectou inúmeras pessoas nos continentes africanos e asiáticos, e atualmente já chega a estar presente em todos os cinco continentes. Assim como a dengue, a chikungunya é uma doença infecciosa febril. É transmitido pelo Aedes aegypti e também pelo Aedes albopictus, transmissores da dengue e da febre amarela. No Brasil, os três primeiros casos importados apareceram no ano de 2010.

Sintomas

Os sintomas e os sinais também são bem parecidos com os da dengues. São eles: febre, dores nas articulações e nos músculos, dor de cabeça, náuseas, cansaço e manchas na pele. O diferencial da dengue é a dor articular, que aparece muito forte.
O vírus chikungunya não é apresentado com altas taxas de letalidade, porém, pode causar artralgia persistente (problemas com uma ou mais articulações do corpo), ocasionando na redução de produtividade e da qualidade de vida.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por uma análise dos sintomas do paciente ou através de um hemograma, que medirá o número de plaquetas no sangue. Outros exames podem ser solicitados conforme a gravidade do caso.

Tratamento

Como ainda não há um tratamento antiviral específico para a doença, a terapia utilizada é a de suporte médico, hidratação (ingerir muita água diariamente) e repouso absoluto. Os remédios usados para fazer um suporte a dores de cabeça e febre são o paracetamol e dipirona.
Atenção: É recomendado não usar medicamentos a base de ácido acetil salicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, Doril, etc.) e anti-inflamatórios que interferem na coagulação do sangue. Sempre leia a bula dos medicamentos antes de serem consumidos. Evite a automedicação.

Prevenção

A melhor prevenção é tomar os cuidados necessários para que não haja a proliferação do mosquito Aedes aegypti e do Aedes albopictus, sempre tomando cuidado com acúmulo de água parada.

  • Fique de olhos nos pneus que você armazena em casa. Deitados ou em pé ele pode acumular água na parte de dentro.
  • Durante dias, a água que você molha sua planta pode dar sinal no pratinho do vaso. Para evitar isso acúmulo de água, preencha os pratinhos com areia.
  • Procure sempre deixar garrafas vazias de cabeça para baixo, evitando que a água se acumule em seu interior.
  • Não deixar entulhos espalhados em lugares indevidos. Procure caçambas ou contrate algum serviço de transporte de lixo.
  • Fique de olho nas calhas de sua casa. A sujeira pode acumular água por dias.

 

 

Fonte: Portal Saúde