Primeiramente, vale ressaltar que o colesterol é uma gordura e que 75% da sua produção é realizada pelo fígado. Sendo assim, ele desempenha algumas funções vitais como função cerebral, produção hormonal, função digestiva, participa da estrutura celular, entre outras. Discutir sobre colesterol nos dias atuais gera grande polêmica. Verdades como “o que aumenta o colesterol é o consumo de gordura saturada” já não são tidas como absolutas. alimentação A conduta adotada para o controle deste lípide sempre foi a restrição de gordura animal, porém se considerarmos que produzimos a maior parte do colesterol e apenas 25% é proveniente da alimentação, seria interessante avaliarmos a metabolização do colesterol que ingerimos, ou seja, como ele se comporta dentro do nosso organismo. Assim sendo, muitos critérios devem ser considerados, como carências nutricionais, sedentarismo, estresse oxidativo em geral e o estilo de vida adotado. Já está muito claro que não basta reduzirmos apenas o consumo de gorduras saturadas. Conclui-se que o problema maior está no consumo exagerado de produtos industrializados, ricos em açúcares refinados e gordura vegetal hidrogenada. Não é a gema do ovo a maior vilã (se fosse assim, talvez Deus teria criado o ovo apenas com a clara), e sim os alimentos industrializados e que ainda vem discriminado nas embalagens “NÃO CONTÉM COLESTEROL”. Quantas pessoas enfartam com níveis de colesterol adequado? Estudos apontam que não podemos avaliar apenas os níveis de colesterol (LDL E HDL) como critério para risco de doenças cardiovasculares. Valores como PCR, Homocisteína, Insulina, associados ao estilo de vida do indivíduo devem ser considerados. OR2F930 A Alimentação e a prática de exercício físico, juntamente com o equilíbrio emocional, são necessárias para o controle de doenças cardiovasculares. Prefira alimentos que a natureza oferece! Evite alimentos embalados como embutidos, biscoitos (mesmo os que dizem ser apenas água e sal ou integrais), frituras, bebidas açucaradas, farinha branca, açúcares em geral. Faz-se necessário um acompanhamento individual com um médico e nutricionista para traçar o melhor plano de tratamento para cada um.   escrito por Gisele Cândido da Clínica Vida Vale

tudo-sobre-diabetes

 

Nutrição e Diabetes estão comumente ligadas. É fundamental que diabéticos controlem sua dieta, para manter um controle glicêmico adequado.

Se você faz uma dieta com pouco açúcar e carboidratos, isso pode ajudar a evitar muitas patologias. Sabemos que a dieta em si não cura a diabetes, porém ajudar a dar mais qualidade de vida aos portadores e você tem mais controle sobre a doença, minimizando variações e reduzindo medicamentos.

A dieta tem função de ajudar a controlar a glicemia no sangue. Devido a isso, insulina em excesso pode causar prejuízo a saúde, deixando sequelas não reversíveis, como por exemplo, ocasiona cegueira, caso muito comum em diabéticos.

Quando não há boa digestão dos alimentos, como exemplo os açúcares e amido, pode afetar o sistema digestivo de quem tem diabetes. Esses alimentos ficam um maior tempo na digestão e por causa disso, tendem a aumentar a glicose na corrente sanguínea. Tal fenômeno é denominado de glicemia (onde há concentração de açúcar no sangue). Mas, há alimentos onde há a necessidade de ser totalmente exonerados da dieta, ou reduzir drasticamente seu consumo.

NUTRIÇÃO APROPRIADA A DIABÉTICOS:

Com diabetes, é extremamente necessário a redução da gordura e sal. Veja exemplo para manter uma boa alimentação com os alimentos a seguir, serve também para hipertensos:

  • Aves (sem pele);
  • Peixes e carnes magras;
  • Leite desnatado ao invés do integral;
  • Queijo branco (Ricota é super indicado) ao invés de queijo gordo (amarelo);
  • Alimentos Ricos em Fibras Solúveis (aveia, farinha de banana verde, farinha de maracujá, semente de linhaça);
  • Verduras (de preferência vegetais folhosos verdes escuros);
  • Cereais;
  • Feijão/ Lentilha/ Ervilhas;
  • Frutas in natura ao invés de suco concentrado de frutas.

MEDIÇÃO CERTA DOS ÍNDICES DE GLICEMIA

 

Para quem tem diabetes e precisa de uma dieta equilibrada, precisa ingerir alimentos com menor índice glicêmico, conhecidos por não afetar tanto os níveis de glicose no sangue devido a isso são recomendados a diabéticos.

COMO TER UMA BOA DIETA COM DIABETES?

 

Café da manhã: o café da manhã é a refeição mais importante do dia, ajuda a emagrecer e reduz a fome no decorrer do dia.

Fibras Solúveis: as fibras têm como função adiar a absorção do açúcar pelo sangue, mesmo que o açúcar passe por transformação, as fibras fazem com que o aumento da glicose no sangue seja evitado.

Equilíbrio: procure comer somente o necessário durante as refeições, assim será possível passar horas durante o dia sem se alimentar. Não faça repetição de prato, se já se sente satisfeito já é o suficiente. Veja e faça controle do tamanho das porções, isso faz com que a dieta seja mais saudável.

Variedade de alimentos: não utilize somente carboidratos em suas refeições, por exemplo, um prato de macarrão sem verduras, proteínas, legumes ou frutas. Mescle com peixe grelhado, salada e frutas. Substitua o arroz branco pelo arroz integral, macarrão sem glúten ou uma batata doce.

A American Diabetes Association (ADA) orienta fazer a divisão do prato ao meio, deixando ambas as partes em tamanhos iguais. Faça a divisão em três partes, ficando assim: uma com 50% e duas com 25% cada. A metade maior, ou seja, 50% do prato precisa ser preenchida com vegetais, verduras e legumes. Um quarto do prato, isto é, 25 % complete com proteína magra e o outro um quarto da refeição, 25% restantes, repleto de carboidratos complexos abundantes em amido, dando preferência a grãos integrais que são ricos em fibras.

Quinoa

A quinoa, como sabemos, é famosa na região dos Andes. Pesquisas realizadas já averiguaram que a Quinoa possui um elevado teor nutritivo.

O QUE QUER DIZER QUINOA?

 

De acordo com o significado da língua dos incas, quinoa quer dizer grão materno. Tal cereal foi encontrado na Cordilheira do Andes e ao longo do tempo, tem sido a fonte de alimento mais importante daquele local.

Trata-se de uma semente de uma planta nativa do Peru e Bolívia. A quinoa deve ser ingerida como farinha, flocos e adicionados a vários cardápios.

QUAIS OS BENEFÍCIOS QUE A QUINOA PROPORCIONA?

 

Logo mais abaixo, você verá 5 benefícios que a Quinoa possui para melhorar o seu organismo.

1. É altamente rica em nutrientes, sendo a principal fonte para o alimento

A quinoa contém todos os aminoácidos que são necessários ao corpo, não somente o ferro, mas também possui cálcio, ácidos graxos, ômega 3 e 6. Há ainda, as vitaminas do complexo B, que tem alto teor de fibras e proteínas.

Por ter alta quantia de vitamina B, esse grão é primordial ao sistema nervoso pois ajuda a melhorar sua função, e auxilia na produção de hormônios e mantém a musculatura.

2. Mantém a saúde do coração em ordem

Muitas pessoas não têm esse conhecimento, porém a quinoa possui uma alta quantia de ômega 3 e 6, que faz a prevenção de doenças cardiovasculares, minimiza os níveis de colesterol ruim e evita o mais conhecido envelhecimento precoce, enfim.

Sabemos que, o Brasil é o primeiro do ranking em morte por doenças cardiovasculares, mas se aprendermos a inserir a quinoa em nossa refeição, vamos definitivamente eliminar essa estatística.

3. Ajuda no combate a osteoporose

Devido ao fato de ser fonte de cálcio, fortalece os ossos e trata a osteoporose, que afeta muitas mulheres no período da menopausa.

4. Evita a hipertensão

Esse cereal primordial auxilia na prevenção contra a hipertensão e mantém o sistema nervoso mais forte.

A hipertensão é vista como uma doença silenciosa e muitas mulheres brasileiras já apresentam esta doença. Quando você insere a quinoa no seu cardápio, ela te ajudará a eliminar a hipertensão.

Porém, lembramos que somente o cereal sozinho não traz resultados satisfatórios, somente atua no combate a hipertensão.

5. Auxilia na prevenção da constipação

Para quem tem prisão de ventre, este cereal integral fornece assistência para otimizar o intestino.

Consumir esse alimento semanal ou diariamente, garante boa regulação ao intestino e evita desconforto com a dor que você possui por causa da constipação.

Podemos concluir que a quinoa é de grande ajuda contra a constipação, logo a alimentação também tem que contribuir para o bom funcionamento do fluxo intestinal.

severe-vomitting-cause-preterm-labor

 

Usar continuamente antirretrovirais leva a efeitos colaterais graves. Sendo os mais conhecidos: diarreia, distúrbios gastrintestinais (como vômitos e náuseas), rash (manchas vermelhas de alergia na pele) e lipodistrofia. Há vários meios para reduzir essas complicações que pode ser com o uso de medicamentos específicos até fazer exercícios (que são fundamentais para o combate da lipodistrofia). Mas, os infectologistas são os profissionais recomendados para buscarem métodos alternativos porque existem remédios que, se consumidos com antirretrovirais, podem prejudicar o organismo do paciente e até minimizar a eficiência do tratamento contra a Aids.

 

ENTENDA MAIS SOBRE ESSES EFEITOS

 

Dentre os que são mais citados, temos: diarreia, vômitos, náuseas, manchas avermelhadas pelo corpo, agitação, insônia e sonhos vívidos. Porém, existem pessoas que não apresentam sequer nenhum mal-estar. Isto está diretamente ligado às características de cada um, de acordo com estilo e modos de vida, mas não quer dizer que há algo errado com o tratamento.

 

SEU DESAPARECIMENTO PODE OCORRER DENTRO DE ALGUNS DIAS

 

Sintomas que surgem no início do tratamento tendem a sumir dentro de algumas semanas, porque os efeitos colaterais podem ser tratados. Para isso, o soropositivo necessita ir até o centro de acompanhamento, para ser inserido no atendimento apropriado. Nessas situações, a automedicação não é correta, porque pode agravar o quadro, e jamais interrompa o tratamento (pois o vírus pode resistir a medicação).

Não só os sintomas citados acima, mas também há sofrimentos com sintomas de prazo mais esticado, que são resultados do modo como o HIV age no organismo, além de efeitos tóxicos que são provocados por uso de medicamentos.

 

OUTROS TIPOS DE TRANSTORNOS

 

O coquetel para HIV pode prejudicar o bom funcionamento do rim, fígado, ossos, estômago e intestino, neuropsiquiátricas. Também, altera o metabolismo, ocasionando a lipodistrofia (mudança na distribuição de gordura pelo corpo), diabetes, e muitas outras patologias.

 

O tratamento para o HIV faz surgir doenças oportunistas, como a dislipidemia (eleva a gordura no sangue), gerando a hipertensão arterial e intolerância à glicose. A dislipidemia tem por característica aumentar os níveis de triglicérides, e também do colesterol total e do colesterol LDL (mau colesterol) e causando a redução do colesterol HDL (bom colesterol). O uso de medicamentos deve estar ligado a uma boa alimentação, para que seus efeitos colaterais não sejam tão graves.

 

 

COMO ESSES EFEITOS PODEM SER EVITADOS?

 

Náuseas e vômitos

 

Esses efeitos são bem famosos e estão ligados ao intestino, e fazem parte do tratamento do HIV. Boa parte dos portadores de AIDS que já sentiram esses sintomas, é porque iniciaram uma nova droga para tratamento. Em grande parte dos casos, esses efeitos podem desaparecer dentro de semanas. Caso a náusea agrave a qualidade de vida, impedindo a realização de uma refeição, ou mesmo se tiver a permanência dos sintomas, o paciente precisa do auxílio de um médico. Embora sejam efeitos bem populares, o paciente não deve achar que é normal conviver com eles. Veja modos de controlar esses efeitos:

  • Tratamentos interruptor. Faça substituição por uma medicação similar que cause menos transtornos. Porém, quando o paciente faz uso de muito remédio ao mesmo tempo, não tem como saber quem provocou os sintomas. Não tem como saber se pode haver melhorias (ou agravar) por conta da alteração de medicamentos. Devido a isto, trocar uma medicação pode ser complicado para os pacientes que são resistentes a algumas drogas. Sendo assim, a troca de remédios só é concedida para pacientes que tem muita náusea.
  • Tratamentos de prescrição. Há uma categoria de medicamentos denominada de antiéticos. Medicamentos que possibilitam melhor controle de náuseas e vômitos. Estas drogas agem como barreira de receptores no centro vômito do cérebro. Mas essas medicações causam sonolência e até fazer a pessoa acreditar que está em sono profundo. Peça orientações do médico, não faça uso de medicação sem sua orientação jamais. A eficácia de um remédio pode variar de paciente a paciente, e antiéticos, muitas vezes, melhoram sua qualidade quando aliado a muitas combinações. Tais medicações tornam-se mais eficazes caso sejam tomadas entre 30 a 45 minutos antes de tomar qualquer ARVs. É preciso observar que alguns dos antieméticos, viram prejudiciais quando são tomados junto de alguns dos inibidores de protease, incluindo o Norvir (ritonavir) e Kaletra (lopinavir / ritonavir).
  • Faça pequenas refeições regularmente, ao contrário de duas ou três maiores.
  • Cheirar as fatias do limão reduz a náusea.
  • Gengibre também vem sendo usado para controle da náusea. Tomar refrigerante ou chá de gengibre é muito bom.
  • Alimentos mais leves são de fácil digestão. Cuidado com alimentos gordurosos e industrializados.
  • Tire uma folga antes das refeições e procure comer lentamente.
  • Faça respiração bem tranquilo quando estiver com náuseas.
  • Bandas de acupressão (chamado de Mar-Bandas) que é posto no antebraço cerca de duas polegadas acima do pulso também traz alívio para as náuseas.

Outras observações

 

 

 

Saiba mais em Saber Viver & Vivendo com HIV. Deixe seu comentário.

910538143_preview_11

Trata-se de uma infecção que já alcança várias mulheres que se encontram em idade de reprodução, menopausa e mesmo às grávidas sofrem desse mau. Essa doença surge quando uma bactéria se infiltra sistema urinário através da uretra e se espalha na bexiga. Comumente, o corpo põe para fora esses organismos anormais. Algumas vezes, o sistema de defesa do corpo tende a falhar e a bactéria consegue se manifestar no trato urinária e daí começa a infecção. Por volta de 40% das mulheres já tiveram essa patologia ao menos uma vez na vida.

São muitos os seus sintomas, de acordo com a uroginecologista Maria Augusta Bortolini, vice-presidente da Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart., a infecção urinária ocasiona uma pressão regular entre as regiões pélvica ou lombar e faz surgir micções dolorosas com certa frequência, havendo muita necessidade de urinar além do normal, em muitos casos tendo pouca ou nenhuma urina para ser eliminada.

A médica acrescenta que a urina pode chegar a ser turva, de cor escura e/ou com odor muito forte. “Se há sangue na urina, febre acrescida de náuseas, vômitos e calafrios pode ser indícios de infecção séria”, conta.

O sexo feminino tende a apresentar infecção urinária com mais frequência, já que suas uretras são menos longas, sendo mais próxima à vagina e ao ânus. Quer dizer que a facilidade é maior para os micro-organismos conseguirem entrar em seu sistema urinário e provocar uma infecção.

“Os atritos causados por atividades sexuais também levam os micro-organismos para dentro da uretra. Depois do período de menopausa, os níveis de hormônio estrogênio no corpo são menores o que faz com que os tecidos da vagina, uretra e bexiga fiquem mais finos, sensíveis e com pouca resistência, elevando o risco de cistite recorrente”, conta Maria Augusta Bortolini.

No período de gravidez, essa infecção geralmente aparece devido a alterações hormonais e que fazem funcionar o trato urinário. A médica orienta que, nesta fase, o sistema imunológico ou a susceptibilidade de algumas mulheres têm seu grau de contribuição para que essa infecção ocorra.

Se você deseja se prevenir comece a ter melhores hábitos, mude sua alimentação, faça exercícios, isso ajuda a minimizar o estresse, o corpo passa a ficar mais fortalecido e seu sistema imunológico mais eficaz, fazendo com que infecções oportunistas não se aproveitem de seu organismo”, afirma.

Recomendações para ajudar a prevenir a infecção urinária:

  • Beba água regularmente, que seja o suficiente para urinar de tom claro de 4 a 6 vezes diariamente (2 a 3 litros);
  • Tomar suco de cranberry faz com que a urina fique mais ácida e impede que as bactérias cresçam;
  • Se sentir vontade de ir ao banheiro deve ir. Em torno de 3 horas;
  • Após fazer uso do banheiro, faça higienização sempre da parte da frente para a parte de trás;
  • Sempre deixar higienizada a região genital, porém deve evitar fazer limpeza vigorosa, trazendo prejuízo a pele, duchas vaginais também causam danos a pele. As bactérias se propagam normalmente em pele e mucosas já prejudicadas;
  • Procure não fazer uso de certos produtos, como exemplo óleos de banho perfumados e desodorantes vaginais;
  • Caso tenha diabetes, tenha mais controle;

 

Tratar a infecção deve ter comprometimento rigoroso por parte do paciente, pois caso a infecção retorne, o tratamento pode ficar mais difícil. Em casos mais sérios, se faz necessário uma internação devido a chance de causar dano ao trato urinário superior (rins) e o organismo em geral.

Associação Brasileira Pela Continência B. C. Stuart

A Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart trata-se de uma organização que não possui interesses lucrativos, sendo seu principal objetivo cuidar de pessoas que já têm incontinência urinária e/ou fecal.

*Dra. Maria Augusta Tezelli Bortolini é Pós-Doutora em Ciências e Professora Afiliada do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina.

Saiba mais Saúde. Deixe seu comentário!